REVISTA

Harmonia de traços

Parceria de Perlla e Jr. já dura 15 anos

Uma amizade sincera que se fortaleceu ao longo da vida e terminou dentro de um escritório só poderia se transformar em um projeto de sucesso. A união dos arquitetos Ana Perlla e José Júnior, que se conheceram ainda na infância, ultrapassou as experiências pessoais e ganhou reconhecimento no mercado local. Este ano, o escritório que leva o nome da dupla completa 15 anos de atuação, com um portfólio de desenhos arquitetônicos que chama atenção pela beleza e autenticidade.

Além das diversas horas que passam debruçados sobre projetos, eles ainda arranjam tempo para o que mais gostam: estar com a família e... Ficarem juntos! “A gente faz tudo junto! Gostamos de viajar, almoçar, sair, enfim, somos realmente conectados”, diz Júnior. “Ele é meu amigo, meu irmão, meu colega de trabalho. Só não é meu marido, mas é como se fosse às vezes!”, completa Perlla.

O que pode parecer um problema para muitos – essa ligação tão próxima – para Perlla e Júnior é só o tempero para um bom trabalho. Em entrevista exclusiva ao site da Revista Leal Moreira, eles falaram sobre essa trajetória conjunta, a fórmula para uma boa relação no trabalho e também sobre o projeto que estão fazendo para um dos espaços da Leal Moreira na Casa Cor.

Como começou esta parceria?

Perlla – Já trabalhamos juntos há 15 anos. É uma parceria que surgiu de uma amizade muito forte, desde a infância. Nos conhecemos em Santarém, quando nossos pais trabalhavam lá. Perdemos um pouco o contato, mas logo nos encontramos em Belém, onde, coincidentemente, fomos parar no mesmo colégio. Desde a escola até a faculdade fizemos tudo juntos! Todos os trabalhos, tudo mesmo. Com a formatura, começaram a surgir os trabalhos e naturalmente sempre pedíamos ajuda um do outro, então, dois anos depois de formados, já estávamos oficialmente sócios do nosso próprio escritório.

Jr. – A verdade é que sempre soubemos que trabalharíamos juntos. A Perlla tem mais facilidade com a parte técnica de projetos, e eu já tenho mais habilidade em desenhar com mão livre.

O trabalho de vocês se completa, então?

Perlla – Com certeza! Temos cabeças parecidas e potencialidades diferentes, que se unem na hora do trabalho.

Jr. – E isso foi uma coisa que foi construída logo no começo da nossa carreira. Quando começamos, computador ainda era um artigo de luxo e a Perlla era uma das poucas pessoas que tinham esse equipamento. Logo ela aprendeu a usar o Autocad e, por isso, eu normalmente ficava encarregado de fazer os desenhos manuais.

Perlla – É uma forma muito boa de trabalhar. Os projetos, por terem um pouquinho de cada um, ficam com uma cara bem peculiar.

Como é possível perceber essa unidade do trabalho de vocês? Há uma marca registrada nos projetos que vocês fazem?

Jr. – Apesar de sermos muito abertos a experimentações – a gente gosta mesmo de inovar, brincar com as coisas – há sim características que têm a nossa cara. Se deixarem, usamos muitas cores, por exemplo. As tonalidades sinalizam sensações e sentimentos, são ótimas para criar o clima pedido pelo cliente. Também somos muito apegados a detalhes, a pensar nos espaços isoladamente, em como eles podem ajudar na composição do ambiente todo.

Os ambientes que vocês estão projetando para o espaço da Leal Moreira na Casa Cor têm esse objetivo: causar sensações por meio da própria composição. O que vocês estão preparando?

Jr. - Vamos fazer três ambientes dentro do espaço da Leal Moreira. A proposta é transportar o visitante para uma construção, para o cotidiano de uma obra. O que a construtora nos pediu é que tenhamos em mente os colaboradores, aqueles que são a base da empresa. Por isso, fizemos uma pesquisa muito interessante, sobre os gostos, as paixões e as vidas destes homens, dos operários que erguem os empreendimentos. Estas referências vão dar um charme especial ao espaço.

Perlla – Vamos fazer o “Salão do Brega”, todo decorado com objetos que estavam estacionados no depósito da Leal Moreira, com coisas como capacetes, carrinhos de mão. Esse vai ser um espaço amplo, que remete mesmo a uma pista de dança. Já o “Restaurante” vai remeter a uma grande paixão brasileira: o futebol. Vamos colocar no espaço imagens dos colaboradores, vestidos com uniforme Leal Moreira. Faremos também a “Varanda”, logo na entrada dos ambientes, onde serão servidos drinques, com aquele clima bem descontraído, que lembra um boteco

Qual é a importância de participar de um evento como a Casa Cor?

Perlla – Ficamos muito felizes com esse convite! A possibilidade de apresentar nosso trabalho pela Leal Moreira e ainda participar deste grande encontro da nossa área será importante para nosso crescimento profissional.

Jr. – É mais uma oportunidade de mostrarmos nossa assinatura como profissionais e, ainda por cima, absorver novos aprendizados. E estar lá pela Leal Moreira, que é, de fato, uma das maiores apoiadoras do evento, é um grande prazer.


Comentário