REVISTA

Grupo de mulheres representa a cultura da Ilha do Marajó

 
A exposição “Mulheres de Fibra”, que envolve artesanato, design, moda e utensílios de decoração produzidos a partir da fibra de jupati, continua em cartaz no Polo Joalheiro do Pará/Espaço São José Liberto. A mostra teve inicio no dia 26/11 e teve o encerramento prorrogado para 20 de dezembro. Todos os itens expostos estão à venda.
 
A manufatura dos objetos é feita por um grupo de artesãs do município de São Sebastião da Boa Vista, na Ilha do Marajó.  Ao todo, são onze mulheres participantes do coletivo “Mulheres da Fibra do Jupati: tecendo a vida com arte”. O grupo tem o apoio do Ministério da Cultura (MinC) e como objetivo a fomentação da produção de artesanato na região marajoara, bem como o aumento da circulação de seus produtos.
 
A mostra exibe os resultados da manipulação da fibra de jupati, matéria prima oriunda da região do Marajó. O acervo possui exemplos do componente em sua forma bruta até a peça final produzida pelas artesãs. O ambiente foi criado para que os visitantes compreendam o universo ribeirinho e seu ateliê original de produção.
 
 
Com a visibilidade da exposição, o grupo lançou um site com o intuito de fazer com que as pessoas se interessem e conheçam mais sobre a história, cultura e sociedade do artesanato marajoara, onde também é possível comprar os produtos feitos pelo projeto.
 
Serviço:
Exposição “Mulheres de Fibra”
Local: Polo Joalheiro do Pará/Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n, Jurunas)
Data: até 20 de dezembro
Hora: de terça a sábado, das 9h às 18h30, e aos domingos e feriados, das 10h às 18h
Entrada gratuita

Comentário