´╗┐´╗┐

REVISTA

Escuta inquieta

Quando virou do dezenove pro vinte, muito mudou na escuta e a música deixou de ser exclusividade de dois importantes ambientes ideais: o teatro, a igreja. Abrigando o som, a cidade moderna (esta ideia falida) obrigou-o a ser mais ruidoso, como quem cobra uma taxa por se apropriar de uma casa imprópria.

Na verdade, passou a se ouvir mais o próprio som da cidade industrial e mudou-se o pacto, em vez do pacto com o silêncio - que o som clássico possuía ao reverberar na caixa acústica ideal da sala do teatro e da igreja - o pacto agora foi estabelecido com o ruído. Nascia a harmonia de Schoenberg, o jazz, o rock e um projeto de música eletrônica.

No meio do século, um caminho do meio: João Gilberto. Pacto com o silêncio e com o ruído – como não imaginar que o violão sincopado de João não é feito à percussão inteira do samba de um mestre como Marçal, só que condensada no mínimo?

E é assim, “cantando na direção do que tem de mais calado”, como ressaltou o crítico Arthur Nestrovski sobre o canto de João Gilberto, que o baiano faz uma elaboração estilística poucas vezes vista na música mundial, equilibrando silêncio (mais nítido) e ruído (sugerido) de modo único. Em Pink Floyd, King Krimson, Hermeto Pascoal e Caetano Veloso esse jogo é também nítido.

Mas na mais recente virada do XX pro XXI, há uma catarse e triunfo talvez do ruído, assim como do minimalismo cíclico, certamente com a afirmação intensa da música eletrônica em todo mundo, inclusive fora dos círculos onde nasceu, a partir das periferias dos centros urbanos: a cúmbia digital, o tecnobrega e a fanfarra eletrônica dos países do leste Europeu.

Escutar o jogo que não se resolve, mas se perpetua em jogo, faz com que o sujeito de hoje - esta coisa sem traço definido - também afirme a ideia de escuta inquieta, aberta para as possibilidades itinerantes e indecisas da música. Escutar música é estar inquieto diante do jogo. A escuta inquieta é a escuta contemporânea, descobre a si mesma fora de si.

Dá pra dizer que João Gilberto, Pink Floyd, King Krimson, Hermeto, Caetano, Gang do Eletro, Bomba Estereo e Balkans Beat Box pertecem ao mesmo mundo.


Comentário