REVISTA

De repente, trinta!

Em seu livro 'A Mulher de Trinta Anos' de 1832, o francês Honoré de Balzac faz uma apologia às mulheres de 30 anos, que podem viver o amor com maior plenitude, pois já estão emocionalmente amadurecidas. Os séculos passaram e até hoje a expressão balzaquiana se tornou parte da história moderna. Chegar aos 30, portanto, requer comemoração a altura. Algo como 54 dias de festa em lugar esplêndido, marcante, especial. Ainda mais quando a %u2018mulher%u2019 em questão é a maior mostra de arquitetura e paisagismo das Américas: A CASA COR.

 

Este ano, o tema da mostra expressa o momento de plenitude que o evento vive. É a celebração do morar brasileiro, criando experiências que inspiram, emocionam e transformam a casa como um espaço para celebrar a vida. Tudo, claro, mantendo a qualidade de uma mostra consolidada e que está sendo apresentada em um espaço que, depois de reformado, ficou com %u2018cara de casa%u2019, trazendo aconchego e conforto para os visitantes: o icônico ambulatório do Jockey Club de São Paulo.

O prédio sediou a primeira CASA COR no Jockey Club, na edição comemorativa de 20 anos, em 2006, e agora volta para comemorar seus 30 anos. Coincidências que  talvez só um amor balzaquiano, cheio de plenitude e certezas proporcione.

O ambulatório foi construído no início do século 20 pelo arquiteto francês Henri Paul Pierre Sajous, em uma época em que chegavam a São Paulo as primeiras linhas do racionalismo. Restaurado para a mostra deste ano, a partir de 2017 o prédio tombado será entregue ao Jockey Club, reafirmando o compromisso com a valorização do patrimônio histórico - uma das missões da CASA COR.

Seguindo a premissa de unir profissionais, indústria, lojistas e toda a cadeia envolvida na arte do morar, impactando e trazendo novas informações a quem passear pela mostra, a CASA COR tem 70 ambientes e traz a volta de renomados profissionais como o arquiteto João Armentano e o paisagista Alex Hanazaki, responsável pelo jardim de entrada da mostra, além de apostar na nova geração de arquitetos como Otto Felix, Marilia Pellegrini e Michel Safatle. Longe de ser um evento restrito à arquitetura, os visitantes também contam com um roteiro cultural completo, com atrações para toda a família e opções de entretenimento e gastronomia, vivendo experiências únicas e inesquecíveis. Em outras palavras: livraria, lojas, pausa para o café estão garantidos e com muito charme. Isso sem falar no compromisso com a sustentabilidade, a mostra segue na sua missão de apresentar uma obra mais limpa, sem desperdício e com reaproveitamento de resíduos. Dezenove estados brasileiros realizam a mostra, o próximo desafio, depois de também desbravar a América Latina com franquias internacionais na Bolívia, Chile, Equador e Peru, é aterrissar em Miami. Ufa! A CASA COR chega aos 30 com fôlego de 15.

Com curadoria de Pedro Ariel, Diretor conteúdo da mostra, selecionamos alguns ambientes para apresentar a edição 2016.

 

Loft no Campo - Paola Ribeiro. A única divisória do espaço é um vidro espelhado que esconde o banheiro. O desejo era de integração total em um ambiente de clima serrano, onde um dos pontos de encontro é em torno da grande bancada em madeira com laca verde. Ela começa como apoio do cooktop, torna-se pia e alcança o home office. A luminária tem assinatura de Jader Almeida.

 

1. Estúdio Jabuticaba - Nildo José. O banco multifuncional de concreto (à direira) contorna o espaço e é peça-chave do loft de 43m². O nome do espaço vem da jabuticabeira presente na sala.

 

2. João Armentano. Duas escolhas orientam o projeto: paredes revestidas com painéis em madeira e móveis camuflados, como armários de cozinha, estantes da sala de jantar e a mesa do home office. O revestimento cinza no piso reforça o aconchego.

 

3. Revestido de madeira carbonizada, o living Hot Spot destaca a fotografia de Fábio Bartelt com sua mulher, a modelo Carol Trentini. Projeto com infinitas possibilidades de configuração - pronto para receber amigos, descansar, ler, ouvir música.

 

4. Cozinha Gourmet Todeschini - Guilherme Torres. A bancada em Corian soluciona o espaço ao funcionar como armário e ao ocultar a pia e a máquina de lavar.O duo preto e branco é explorado de várias formas, transmitindo um ar futurista.

 

5. Adega - André Dutra, Marcela Pentrado e Kika Mattos. Madeira e tijolos não podem faltar em uma adega - e aqui os materiais estão presentes nos nichos que organizam as garrafas de vinho e as transformam em recurso visual. E uma forma de conferir profundidade ao espaço vem no uso do tapete de fios de seda, em degradê de cinza.

Sala de Música - Michel Safatle. Móveis de época do acervo pessoal, elementos de cultura pop, estruturas modernas e tecidos luxuosos contrastam no espaço de maneira vibrante. Um dos pontos altos é a reprodução do interior de uma sala de teatro, que confere um aspecto grandioso sem perder de vista o intimismo.

 

Tributo aos 30 - Roberto Migotto. Três décadas de CASA COR e o mesmo tempo de carreira do arquiteto são celebrados no espaço que remete aos anos 1930. Migoto trabalhou tons de nude, especialmente nas paredes revestidas de pergaminho.

 

Unidade Shoji 04 - Yamagata Arquitetura. A tradicional arquitetura japonesa estava na mente de Paloma Yamagata, Aldi Flosi e Bruno Rangel. Especialmente a estrutura dos shojis, painéis ou portas de correr em madeira e papel translúcido.

 

Living da Praia - David Bastos. O branco predominante só concede licença a outros tons suaves, como rosa e o blue serenity do armário da cozinha, que abriga as cerâmicas do Studio Heloísa Galvão. Ao centro, a mesa de aço escovado convoca o estilo industrial, desenhada pelo arquiteto para a Mekal.

 

Marina Linhares assina o espaço Deca na CASA COR São Paulo 2016. o ambiente de 200 m², se baseia em referências do Bauhaus em relação íntima com a arquitetura.

 

O Hall Biblioteca de Roberto Cimino e Nelson Amorim apresenta aos visitantes uma atmosfera tropical brasileira, característico no tapete de fibra com arte tribal do Amazonas.

 

Sala do Apartamento - Osvaldo Tenório. O arquiteto preferiu manter o piso e as paredes semi-descascadas originais, adotando-os como base de uma decoração eclética.

 

Quer visitar?

Data: até 10 de julho de 2016.

Onde: Jockey Club de São Paulo -Av. Lineu de Paula Machado, 775 -Cidade Jardim.

Horários: Terça a quinta das 12h às 21h I Sexta, sábado e feriados das 12h às 21h30 I

Domingo das 12h às 20h.

Valor: R$ 26,00 a R$150,00

Quer saber mais? Acesse: www.casacor.com.br


Comentário