´╗┐´╗┐

REVISTA

Arquitetura em prol do paladar

Ter uma churrasqueira em casa é um desejo comum à maioria dos brasileiros. Afinal, mais que instrumento para preparar carne, a churrasqueira está ligada à partilha, confraternização e momentos de diversão. Nessa mesma linha, o forno de pizza também vem ganhando cada vez mais adeptos, entre aqueles que não abrem mão de receber amigos em casa com muitas delícias à mesa.  Mas, antes de instalar um dos dois, ou até os dois ao mesmo tempo, é preciso estar atento a algumas orientações de especialistas.

De acordo com a arquiteta Flávia Soares, antes de sair comprando uma churrasqueira ou um forno, é importante conhecer o seu espaço, entender o que é possível desenvolver ali e estar atento às sua próprias necessidades. “Alguns clientes querem apenas desfrutar de encontro casual, de forma mais simples, necessitando apenas de churrasqueira e utilizando o restante dos equipamentos na cozinha mesmo. Outros já querem um espaço maior e mais descontraído, sem que o forno ou a churrasqueira interfira no movimento da casa. Nesse caso, cria-se um espaço completo para este fim”, compara Flávia.


No caso de se optar por um espaço gourmet completo, é interessante observar de que forma os elementos se posicionarão no espaço. “O ideal é dividir esse espaço em três setores. Seriam eles: área quente, com churrasqueira e forno, área molhada, com torneira e pia, e área gelada, com freezer e geladeira. Sendo que a área gelada deve ficar o mais distante possível da quente, a fim de evitar a danificação dos aparelhos”, enumera as designers de interiores Ana Karina Chaves e Klazina Norden, da AK Interiores.

Decidido o layout do ambiente, é importante avaliar as várias possibilidades que o mercado oferece. “Tanto para fornos quanto para churrasqueiras, existe opções de alvenaria, de tijolo, a gás. O que varia muito é o tipo de revestimento, que pode ser de madeira, pedra, pastilhas cerâmicas. Tudo depende do estilo que está se criando para o espaço”, explicam as profissionais da AK Interiores. “Uma ótima opção para dar suporte nesses espaços são os cooktops, que necessitam apenas de um ponto elétrico para funcionamento”, acrescenta Flávia Soares, se referindo aos fogões sem forno.

Para finalizar, é importante estar atento a um detalhe que faz toda a diferença: as chaminés. A arquiteta ensina como evitar problemas: “Ao projetar a chaminé deve ser observado a direção dos ventos e a altura da mesma para não incomodar vizinhos, ou mesmo sujar a fachada da edificação. É interessante usar filtros, depuradores ou mesmo exaustores para minimizar estes efeitos”.

 


Comentário